A peça é a mesma, apenas mudam alguns atores…

0

Tenho lido, visto e constatado nos últimos tempos, a triste realidade dos incêndios florestais, e dos incansáveis esforços desenvolvidos pelos Bombeiros Voluntários, para os combater, neste terreno à beira mar plantado.

De tanto ler, ver, ouvir e constatar, uma coisa surge de forma “gritante”, diante dos meus olhos… A ausência de mudança de evolução… As “promessas… promessas… promessas…” feitas em vão! Os mesmos problemas, as mesmas soluções disponíveis e até algumas mais… Mas nenhuma aplicada!

O que mudou? Bem, mudaram alguns “atores”… Mas a “peça” é a mesma e o “cenário” pouco mudou! Está com cores mais tristes… Fruto dos incêndios dos anos anteriores e dos incêndios em pelo inverno! De resto está praticamente “tudo como dantes”…

Continua a não haver um bom planeamento e ordenamento florestal, continuam a existir grandes áreas com espécies arbóreas “invasivas”, não nativas e pouco resilientes ao fogo, continuam a existir edifícios em zonas de interface “urbano-florestal” cada vez mais em cima da área florestal, sem seguirem as regras de segurança e legislação… Continuam os “homens que prometem” a prometer “aquilo que não fazem intenção de cumprir”, aos Bombeiros e às populações… Continuam a ser feitos anúncios com “pompa e circunstância” que mais não são do que “treta barata, típica de um pasquim qualquer”, e tudo está na mesma! Apenas mudaram os actores, porque até os “títulos e patentes”, são os mesmos!

Quem perde com isto? Boa pergunta! Ora bem… Perdemos todos! Perdem os Bombeiros, porque despendem o seu tempo, o seu esforço, arriscam a própria vida, para ainda serem tratados “abaixo de cão”, perdem os cidadãos, porque arde este país, que também é deles. Perdem os CB’s  que desgastam viaturas, têm despesas com material, têm falta de pessoal, e continuam a ter dificuldade em fazer face às dificuldades citadas. Perdem as vítimas dos incêndios, que perdem os seus pertences, as suas árvores, as suas colheitas, os seus edifícios, o trabalho de uma vida! Esperem, mas faltam aqui alguns “personagens”… Há pois, desses já me esquecia! Não perdem nada… Ganham! Ganham prestígio, ganham poder, ganham “vassalagem que lhes é prestada”, ganham na reflorestação, sem qualquer organização, ganham onde querem, onde podem, onde conseguem!

Em suma o que mudou para os Bombeiros? Nada! O verão vai a meio, desde dezembro que se falava num verão excepcionalmente quente, e num período de seca extrema, prolongado, mas o que se houve dizer à semelhança dos anos anteriores e dito “por outros actores”, “ninguém previa isto!” É caso para dizer “Desculpe? Tem a certeza do que está a dizer?”, pois na maioria das vezes se não sabem é porque não querem, mas habituaram-se a que “a mesma conversa do não sabia”, pegue bem!

Veremos até ao final do verão o que irá acontecer, e veremos se alguma coisa será feita, para que neste inverno, os estragos feitos pelos fogos florestais no verão, não voltem a ser “um desastre de inverno”. Se é desta que tomam medidas, e se é desta que os novos “actores” interpretam melhor os seus papeis!

Até uma próxima,

Santos

Sobre o autor

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.